Ritalina Funciona Para Estudar Com Mais Concentração?

Olá, como vai você? Se você está à procura de informações antes de comprar Ritalina para estudar, veio ao lugar certo. A análise de hoje será dedicada com exclusividade ao assunto.

Uma reclamação muito frequente entre estudantes, candidatos a concursos e pessoas que demandam de foco no trabalho é justamente a falta de concentração.

Mesmo com a plena consciência da importância de manter a atenção, toda e qualquer distração parece ser mais interessante.

Isso é bem mais comum do que se imagina. Além do mais, é algo que independe da faixa etária e da intensidade ou número de atividades que são realizadas ao longo do dia (trabalho, estudo, etc.).

Antes de começar a estudar, tentamos nos propor a terminar aquela atividade o quanto antes.

Afinal de contas, há coisas mais interessantes para se fazer além de ficar imerso em livros. Mas parece que quanto mais procuramos nos concentrar, pior é.

Por mais que desliguemos o celular, a televisão e nos privemos de toda e qualquer distração à nossa volta, a dispersão é inevitável.

A sonolência também se mostra frequentemente.

Será que a Ritalina funciona para sanar essas dificuldades? É o que você vai acompanhar nos próximos tópicos. Bora lá!

O mito do foco múltiplo

Principalmente nos últimos anos, se difundiu entre os jovens a ideia de que é possível ter foco múltiplo, isto é, se dedicar a diversas atividades ao mesmo tempo.

Há quem afirme que consegue escutar música, mandar mensagens no celular e ler ao mesmo tempo.

Mas não é bem assim que o nosso cérebro funciona…

Embora muita gente se considere hábil o suficiente para ser multitarefa, alguma(s) das coisas que estão sendo feitas concomitantemente será(ão) prejudicada(s).

Ter foco múltiplo é um mito.

O cérebro humano só é capaz de processar e registrar uma informação de cada vez, ainda que ele esteja usando dois sentidos diferentes para captá-la, tais como a visão e a audição.

Forçar a atenção tendo outras distrações à volta inevitavelmente vai levar à ineficiência em pelo menos um dos resultados esperados.

E isso nem mesmo a Ritalina consegue solucionar.

Psicoestimulantes: as “pílulas da inteligência”

Tendo o que foi abordado no tópico anterior em mente, é preciso estar ciente de que comprar Ritalina não faz milagres.

Ela não é uma “pílula da inteligência” que vai deixar você super hábil como a Lucy, personagem vivida pela atriz Scarlett Johansson nos cinemas em 2014.

A Ritalina funciona para aumentar o desempenho da mente, isso é fato. Mas o efeito se restringe à concentração e não aos aspectos cognitivos.

Os comprimidos ajudam a acalmar e focar os pensamentos, permitindo que o paciente consiga estudar e aprender melhor.

Não é à toa que encontramos estudantes universitários e concurseiros contrabandeando os comprimidos pessoalmente ou na internet.

O público que mais se interessa pelo medicamento é formado por:

✓ Jovens na fase final do ensino médio que estão fazendo vestibulares;

✓ Adultos que estão se preparando para concursos públicos;

✓ Profissionais que querem um desempenho melhor no seu trabalho;

✓ Pessoas que querem emagrecer;

✓ Pessoas que fazem uso recreativo em “baladas”.

Mas os grupos para os quais o medicamento foi desenvolvido não são estes. Ele tem a fama de “doping cognitivo”, contudo há perigos no auto diagnóstico e auto medicação.

A indicação da Ritalina é somente para pessoas com déficit de atenção que foram diagnosticadas pelo psiquiatra (TDA/H). Também se aplica em casos de narcolepsia, a doença do sono.

O uso da Ritalina para estudar

Os concurseiros, alunos e profissionais que usam a Ritalina para estudar e aumentar a concentração estão colocando a própria saúde em risco.

Especialmente se não tiverem o acompanhamento médico adequado.

É claro que o remédio tem seus benefícios, especialmente quando é prescrito para situações específicas.

O problema está no seu uso indevido e desenfreado. Nas pessoas que não precisam do tratamento, a substância age tal qual uma droga.

Os efeitos colaterais podem se revelar a curto, médio e longo prazo.

E eles vão desde simples dores de cabeça até crises de pânico, hipertensão e convulsões.

Nem todos apresentam tais sintomas, mas é preciso ter consciência de que eles podem acontecer.

Em termos de duração, podemos afirmar que os efeitos da Ritalina para estudar são curtos.

Além disso, após o frenesi vem uma sensação intensa de muita exaustão que é desagradável. Alguns relatam até mesmo tristeza.

Por essas e outras, optar por alternativas naturais para aumentar a concentração é muito mais saudável e seguro.

Comprar Ritalina

Quem não pode usar Ritalina

Comprar Ritalina é contraindicado para quem:

✓ Tem problemas cardíacos;

✓ É hipertenso;

✓ Tem ansiedade e/ou depressão com ou sem ilações suicidas;

✓ Tem tiques nervosos;

✓ Tem histórico de desmaios e ataques epiléticos;

✓ Já teve aneurisma ou AVC (acidente vascular cerebral);

✓ É agressivo;

✓ Já teve problemas com uso de álcool e drogas.

Ritalina faz mal?

Quando prescrita por um especialista e na dosagem certa, a Ritalina não faz mal.

Porém, lembre-se que esse é um remédio de tarja preta e que demanda de receituário amarelo, que é aquele que fica retido na farmácia.

Nem mesmo o Rivotril, que é outro medicamento que atinge os neurotransmissores precisa desse tipo de receita, mas a Ritalina sim.

Para não correr o risco de se expor a reações adversas e desenvolver tolerância ou dependência física e psicológica, não abra mão da opinião médica antes de tomar. Está com pré diabetes ou já tem diabetes? Leia sobre o Glicomax e veja como combater a doença!

Conclusões

Diante de todos os argumentos apresentados nesta análise, podemos concluir que Ritalina funciona para ativar a concentração e o foco.

Entretanto, a automedicação e o seu uso indevido não são recomendados e podem resultar em graves consequências.

Consulte um médico ou opte por alternativas mais seguras para os estudos ou atividades que você precisa desenvolver.

Apelar para os psicotrópicos e estimulantes nem sempre vale a pena, independentemente de qual é o objetivo que você quer atingir, não é mesmo?

Assim, encerramos o post. Se você gostou, fique à vontade para compartilhar. Agradecemos a sua companhia e até a próxima, com outras dicas!